Sobre

A Autora

Nasci no Dia da Árvore (21 de setembro) de 1969, em Ribeirão Preto (SP), de pai jogador de futebol e mãe do lar.

Registraram-me Silvia Cristina Pereira, mas me chamaram, a vida toda, pelo apelido de infância: Pety – corruptela de “preta-pretinha-petinha”, por ter sido a única a herdar o biotipo afro de meu pai, em contraponto aos genes lituanos de minha mãe, que ficaram todos para as irmãs mais velhas.

Caçula temporã de três filhas, cedo aprendi a brincar sozinha, criando historinhas para as peças de um tabuleiro de xadrez.

Cresci criança estranha, voltada para dentro, e se aprendi a fazer amigos só bem tarde na vida foi porque isso não se ensina em livros e filmes, meus companheiros desde pequenininha.

Indecisa, às portas da faculdade só sabia que queria continuar conectada às palavras, com as quais já brincava prazerosamente nas aulas de Português e Literatura.
Chutei em Jornalismo… e acertei!

O amor pela escrita levou-me a construir uma carreira de mais de 20 anos em jornais impressos – com curtas passagens por assessoria de imprensa e produção de TV.

Saí da faculdade em 1991 já trabalhando na redação do antigo Jornal de Ribeirão. Dali fui aprender texto de revista na Revide, de semanário no Enfim Ribeirão e, finalmente, de diário no caderno local da Folha de S. Paulo – minha grande escola de hard news.

Em 1997, iniciei uma peregrinação profissional pelo interior paulista: em Jaú, fui repórter e aprendi a editar no Comércio do Jahu; em São José do Rio Preto fui editora de Cidades no Diário da Região; e, na vizinha Mirassol, trabalhei como assessora de imprensa da Prefeitura.

Em 2003, ganhei de presente a edição do caderno TôLigado, da Tribuna Impressa (hoje A Cidade) de Araraquara. Após nove felizes anos, voltei à minha cidade natal para editar o Caderno C – de Cultura, Entretenimento e Variedades – do centenário jornal A Cidade.

Para contrabalançar a aridez dos textos jornalísticos, cultivei (muito menos do que deveria e gostaria) a escrita literária como hobby.

Em 2016, após grave acidente de trânsito – que me rendeu quatro cirurgias e um ano inteiro de tratamentos -, a paixão pela escrita virou também válvula de escape, terapia, ponte de conexão com o mundo… e não coube mais só na intimidade.

Pari assim o PALAVREIRA!

Silvia Pereira é jornalista nascida em Ribeirão Preto e com experiência em jornais e revistas do estado de São Paulo, como Folha de S. Paulo, Diário de Rio Preto, Tribuna de Araraquara e A Cidade de Ribeirão Preto.

One Comment

  • Paulo César Grange

    Lá se vão então 20 anos que te conheci na redação do Comércio do Jahu. Bons tempos de aprendizado e amizade. Saudade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: