Artigo,  Publicado na imprensa

Feiura exposta

A cada crise que enfrentamos no Brasil, ouço e vejo pessoas vociferando contra o governo – a maioria das vezes com muita razão -, mas o que mais me chama a atenção é a “feiura” que situações-limite como as provocadas pela greve dos caminhoneiros deixa exposta em indivíduos de toda a sociedade.

Sinto uma vergonha misturada com desesperança ver empresários aproveitando-se do desabastecimento iminente para praticar preços abusivos de combustíveis e alimentos, pessoas furando filas nos postos de gasolina, outras estocando só para a própria família provisões que fatalmente farão falta a outras.

Testemunhar esses comportamentos sempre me traz de volta à memória imagens de uma reportagem feita no Japão logo após o tsunami de 2011: cidadãos organizando-se voluntariamente em filas para comprar provisões, respeitando o limite de compras e dividindo o que têm de mais com quaisquer pessoas que tenham de menos.

E sinto inveja!

Ao mesmo tempo me vem um entendimento amargo do porquê sofremos as consequências funestas de redes de corrupção entranhadas por todas as instâncias dos Poderes que nos governam. Na raiz desses comportamentos estão os mesmos sentimentos que motivam os corruptos e corruptores demonizados nos discursos de ódio tão em voga atualmente: um profundo egoísmo e descaso com a sorte do outro.

O pior é que, se aproximarmos uma lente de aumento de pessoas flagradas comportando-se tão egoistamente, descobriremos, quase sempre, cidadãos que se acreditam tementes a Deus e cristãos… que (teoricamente) seguem os ensinamentos de um certo Jesus Cristo, que pregava o contrário do egoísmo.

Não adianta ir para as redes sociais xingar governantes se você não hesita em furar um sinal vermelho ou qualquer fila. Você ajuda a alimentar este efeito dominó da corrupção,  causa de todas as misérias que o cercam. Parabéns!

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: